Quando a gente lembra da infância, bons momentos passam pela nossa mente, não é mesmo? Muitos deles com nossos pais, amigos e também com os brinquedos. Quem não tem uma recordação especial por um carrinho, urso de pelúcia ou boneca?

Mais do que marcar a memória, os brinquedos têm um papel importante para o desenvolvimento infantil. Proporcionam, além de entretenimento e diversão, muito aprendizado.

Diante disso, é essencial que a criança brinque bastante. É sobre isso que vamos conversar neste post. Continue a leitura e descubra os benefícios dos brinquedos na infância, quais são as indicações em relação a cada faixa etária, os cuidados na hora da compra, além de os perigos de expor os pequenos aos eletrônicos. Confira!

A importância dos brinquedos no desenvolvimento da criança

Os brinquedos são importantes para o desenvolvimento infantil, pois propiciam descobertas. Na hora da brincadeira, a criança está imersa em um rico universo, permitindo que ela explore o ambiente, se conheça melhor e entenda seus próprios sentimentos ao brincar de faz de conta, por exemplo.

Dessa maneira, os carrinhos, blocos de montar, jogos, bonecas, bola e outros brinquedos trazem diversos benefícios para os pequenos, como:

  • estímulo à criatividade e imaginação;
  • aprimoramento da coordenação motora e equilíbrio;
  • desenvolvimento da linguagem;
  • melhora da socialização;
  • desenvolvimento do raciocínio lógico e concentração;
  • aprendizado, de maneira lúdica, sobre formas, cores, quantidades, proporções, dentre outros conceitos.

A criança cria uma relação íntima com o brinquedo, sendo que algumas passam até a tê-lo como companhia para dormir, como no caso dos bichinhos de pelúcia. Além disso, no momento da brincadeira, ela representa a realidade — reproduzindo seu cotidiano, ao brincar de casinha, por exemplo — e as relações humanas e, dessa maneira, aprende sobre sentimentos e a como lidar com eles.

Os brinquedos e as diferentes fases da infância

Bom, agora que mostramos a importância dos brinquedos para as crianças, é fundamental destacar que eles devem estar de acordo com as diferentes faixas da infância. Somente dessa maneira poderão propiciar os benefícios que apontamos acima.

Está em dúvida sobre qual brinquedo escolher? Veja a orientação a seguir:

  • 0 a 6 meses — brinquedos musicais, chocalho, mordedores com texturas, móbiles, bonecos e bichos de pelúcia;
  • 6 meses a 1 ano — argolas empilháveis, fantoches de pano, brinquedos musicais e com espelho, bichinhos para colocar na banheira, bonecos e bichos de pelúcia, livros de pano, brinquedos com botões de apertar, girar ou empurrar;
  • 1 a 2 anos — blocos de montar, brinquedos com cores vivas, brinquedos de encaixar, triciclo, massa de modelar, carrinhos;
  • 2 a 5 anos — bolas, carrinhos, cabanas, bonecas, quebra-cabeças, heróis e bonecos de ação, lousas, massinhas, fantasias;
  • 5 a 8 anos — carrinhos, pipas, patins, patinete, bicicleta, skate, jogos de tabuleiro;
  • a partir dos 8 anos — jogos de tabuleiro ou outros que exijam raciocínio, bicicleta, instrumentos musicais.

Os cuidados ao escolher o brinquedo ideal

Na hora de escolher o brinquedo, além de levar em consideração a indicação da idade, é fundamental estar atento à qualidade e procedência do produto para evitar qualquer risco às crianças.

A primeira dica é verificar se o brinquedo apresenta o selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que traz a indicação da faixa etária e identificação do fabricante. Esse selo é uma garantia de que o produto segue as normas técnicas de fabricação e é seguro para as crianças.

Muitos brinquedos piratas são facilmente encontrados no comércio, no entanto, além do risco de apresentarem peças soltas, podem conter tintas ou outras substâncias tóxicas. O Inmetro tem uma cartilha para orientar o consumidor nesse sentido.

Outros pontos a serem observados:

  • presença de pontas ou arestas afiadas nos brinquedos;
  • cuidado com peças muito pequenas, principalmente para crianças menores de 3 anos;
  • tenha atenção redobrada com carrinhos ou bonecos muito barulhentos para não prejudicar a audição dos pequenos;
  • não deixe a criança brincar sem supervisão;
  • dê preferência para os brinquedos educativos;
  • compre os produtos em lojas de referência;
  • guarde sempre a nota fiscal para o caso de apresentar algum defeito de fabricação.

A substituição do brinquedo por eletrônicos e seus perigos

Falamos até agora muito sobre os brinquedos, principalmente as opções tradicionais como carrinhos, bonecas, bolas, pelúcias, dentre outros. Mas como chamar a atenção das crianças para essas opções diante da invasão das telas dos smartphones e tablets?

Você já deve ter visto crianças bem pequenas com eletrônicos. Esses dispositivos realmente atraem os pequenos, porém não trazem vantagens para seu desenvolvimento; pelo contrário, o excesso de uso pode trazer perigos para a saúde.

Nos dois primeiros anos, a criança está formando mais sinapses, que são as conexões neurais e, para isso, precisa explorar o mundo a sua volta. Não à toa colocam tudo na boca.

Desse modo, elas precisam ser estimuladas com brinquedos, não com telas passando vídeos musicais. Sem contar que os eletrônicos — além de forçar a visão, incentivar o sedentarismo e atrapalhar o sono — dificultam o desenvolvimento da empatia e na socialização, porque a criança fica sozinha nessa interação.

Então por que trocar os brinquedos, que abrem um universo de imaginação para as crianças, pelo uso desses eletrônicos? É uma atitude que vai limitar o pleno desenvolvimento infantil.

Aliás, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que os pequenos não usem as telas no primeiro ano de vida. Já, após os 2 anos, o uso deve ser limitado a uma hora por dia. Contudo, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) recomenda que as crianças não sejam expostas a tablets e smartphones até os 2 anos. Depois dessa idade, é preciso ter supervisão da família, evitando que ultrapasse uma hora por dia.

Agora você já sabe a importância dos brinquedos no desenvolvimento infantil. As crianças têm um mundo a explorar e muito a aprender, e a brincadeira com carrinhos, jogos, bonecas e outros itens vai auxiliar nesse processo. Para evitar riscos aos pequenos, nunca compre opções falsificadas e adquira brinquedos em lojas que ofereçam um suporte total ao cliente.

E aí, gostou das informações que trouxemos neste post? Se você quer acompanhar outros temas como este, curta a nossa página do Facebook!

You Might Also Like

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *